Globalize e garanta mais segurança para seu negócio

GlobalizeFazer negócios em todo o mundo pode parecer um longo caminho para quem está acostumado apenas a fazer negócios em sua própria cidade. Mas a cada ano, inúmeras pequenas empresas trilham esta jornada. Assim como a maioria das viagens de longo curso, globalizar pode ser resumido a uma série de etapas. Aqui estão seis passos básicos para se globalizar:

 

  1. Comece sua campanha de crescimento pela expansão internacional através da preparação de um plano de negócios internacionais para avaliar suas necessidades e definir suas metas. Antes de começar é essencial avaliar a sua disponibilidade e empenho para crescer internacionalmente.
  2. Realizar pesquisas de mercado externo e identificar mercados internacionais.
  3. Avaliar e selecionar métodos de distribuição de seu produto no exterior. Você pode escolher entre uma variedade de meios para distribuição de seu produto, desde abrir filiais estrangeiras de sua empresa até trabalhar com agentes, representantes e distribuidores e criação de joint ventures.
  4. Aprender a fixar os preços, negociar acordos e navegar no emaranhado jurídico de exportação. As diferenças culturais, sociais, jurídicas e econômicas tornam a exportação um desafio para os empresários que só têm operado em seu país local.
  5. Procure o governo e fontes privadas de financiamento e descubra maneiras para se certificar de que você está sendo pago. O financiamento é sempre um problema, mas o interesse do governo em aumentar a exportação e séculos de inovação financeira fez com que a obtenção de financiamento pagamento ficassem mais fáceis do que nunca.
  6. Mova os seus bens para o seu mercado internacional, certificando-se de que você empacote e rotule todos em conformidade com os regulamentos do mercado para o qual você está vendendo. A globalização dos sistemas de transporte ajuda aqui, mas a regulamentação ainda é diferente em todos os lugares que você vá.

Globalize e aprenda uma nova cultura

Uma grande diferença entre fazer negócios no mercado interno e externo está na cultura. As dicas a seguir devem evitar que você erre de forma onerosa em reuniões de negócios internacionais:

  • Construa um relacionamento antes de começar a trabalhar. Isso implica ter pequenas conversas e conhecer um ao outro, sem [imediatamente] entrar em discussões de negócios
  • Não imponha prazos. Mantenha a reunião a mais aberta possível, pois isso acrescenta força à sua posição de negociação.
  • Faça sua pesquisa. Saiba pelo menos alguns pontos e fatos sobre o país; isso mostra que você respeita o patrimônio cultural de seus potenciais parceiros. Além disso, você deve se sentir confortável com as palavras básicas em seu idioma.
  • Traga o seu próprio intérprete. Se eles fornecem o intérprete, o intérprete vai emocionalmente levar em consideração os interesses da outra pessoa, não o seu.
  • Compreender a linguagem corporal. As pessoas pensam que a linguagem corporal é universal, mas não é.
  • Vista-se com respeito e autoridade. Este ponto deve ser autoexplicativo. Se não for, procure a ajuda de um especialista em imagem. 

A importância de globalizar

Sabemos que a expansão internacional não é a única ou mais eficaz forma de fazer com que os negócios ampliem. Afinal, o mercado nacional possui tamanho suficiente para que grande parte das pequenas empresas cresçam sem ressalvas. Porém, a questão vai muito além das oportunidades que o mercado interno oferece, globalizar possui relação com segurança, é uma maneira eficiente de proteção contra qualquer decadência no mercado nacional e, melhor ainda, o potencial de crescimento global é ampliado consideravelmente.

Aviso legal
A partir de maio de 2016, conforme noticiado no sítio da Receita Federal Brasileira, em 29/04/2016, uma instrução normativa passou a exigir a identificação do beneficiário final das empresas nacionais e estrangeiras que vierem de alguma forma operar no Brasil. Ressaltamos que na data de publicação desse  artigo não integrava as exigências do fisco a necessidade de identificar os beneficiários finais. Como salientado ininterruptamente nos materiais produzidos por Sociedade Internacional, as estruturas jurídicas no exterior que são formadas corretamente e declaradas junto à Receita Federal não abrem lacunas para ilegalidades perante à legislação brasileira. Enfatizamos que o anonimato do sócio e diretor da empresa permanece como um direito garantido em lei e costuma ser utilizado principalmente para a proteção das pretensões pecuniárias.