Qual a diferença entre Investimento e Retenção de Riqueza?

Retenção de Riqueza

Para a maioria das pessoas, o termo “investimento” significa comprar algo que sabem que no futuro sofrerá um aumento do seu valor. No entanto, existe outro tipo de investimento, geralmente denominado “Retenção de Riqueza”, que não se encaixa nessa definição. Apesar de os investimentos desta categoria estarem passíveis de aumento de valor com o passar do tempo, o seu objetivo principal não é o lucro, mas sim assegurar que, caso outros investimentos falhem, o investidor ainda tem uma parte da sua riqueza a que recorrer.

Normalmente, durante os períodos de crescimento econômico, os investidores tendem a não se interessar por esse tipo de investimento. Porém, quando as crises econômicas se aproximam, a retenção de riqueza adquire maior importância.

As pessoas não têm conhecimento da realidade atual. Em quase todos os aspetos da economia, a riqueza pessoal se encontra ameaçada. Em muitos países, existe a ameaça de mais aumento de imposto, desvalorização da moeda, colapso dos mercados e até de confiscação total das contas bancárias.

Consequentemente, antes que os governos decidam exercer o seu poder de literalmente ‘roubar’ os seus cidadãos, é necessário encontrar jurisdições que ofereçam toda a segurança possível para a sua riqueza. Veja a seguir as previsões sobre retenção de riqueza:

n.º 1: Metais preciosos e imóveis se tornarão os últimos investimentos seguros para a retenção de riqueza. Vai chegar uma altura, quando tudo desmoronar, que virtualmente apenas os metais preciosos e os imóveis serão investimentos seguros (note que nem estes são 100% seguros, mas são e serão os últimos bastiões, o porto seguro).

Apesar de um pequeno número de pessoas ter previsto o colapso ainda antes de 2008, poucas foram as que levaram em consideração. Mas, atualmente, cada vez mais pessoas estão se dando conta que em breve a situação vai se agravar, sobretudo para as que vivem na Europa ou nos EUA, onde praticamente todas as ameaças listadas acima são certas de ocorrer em um futuro próximo. Devido a essa situação está havendo um crescente interesse na aquisição de metais preciosos e imóveis.

n.º 2: A propriedade de metais preciosos e imóveis só está a salvo se localizada em uma jurisdição que não esteja sob ameaça. Muitas pessoas não gostam de possuir bens fora do país onde residem. Contudo, se a ameaça à sua riqueza é o governo do seu próprio país, então é essencial que você retire parte dos seus bens de onde você vive. A razão pela qual é necessário fazer isso é porque, enquanto se mantiver no seu país de residência, aumentam as probabilidades de a mesma vir a ser objeto de alguma regulamentação ou simples confiscação governamental, tributada ou perder valor devido à hiperinflação.

Torna-se mais difícil para o governo do seu país fazer qualquer coisa contra a sua riqueza se você a expatriar, uma vez que os bens deixam de ser controlados pelas leis do país onde você investiu. Ainda mais difícil para o governo do seu país será forçar a ‘repatriação’ dos metais preciosos que você possua. Portanto, na altura de escolher a jurisdição onde você vai investir em metais preciosos e/ou em imóveis, a fim de garantir ao máximo a segurança dos mesmos, o investidor deve escolher um país que:

  • Não possui riscos de sofrer um colapso econômico nos próximos anos.
  • Não possui riscos de cair nas mãos de outros países, eles próprios na iminência de um colapso econômico.
  • Tenha uma legislação com poucas imposições sobre investimentos no exterior.

Esse último item é de grande importância. Os países mais seguros são aqueles que possuem poucas probabilidades de cair em ditaduras ou sofrer mudanças drásticas na legislação. Os países ideais são aqueles que interferem pouco nos investimentos que os investidores têm.

Um exemplo é o México. É possível comprar um grande terreno em frente ao mar em Campeche, no México, apenas com uma fração do preço que pagaria em Cancun, Tulum ou Progreso. Quando os preços duplicarem ou triplicarem, o proprietário pode vender os terrenos. Além do mais, é possível fazer um acordo onde inclui a opção contratual, voluntária para devolver o lote e adquirir ações em uma plantação de arroz em Campeche antes que ela vire uma entidade pública (IPO projetada em 2018). Essa é uma oportunidade de investimento intrigante que combina a chance de possuir ações em que está prevista ser a maior fazenda de arroz no México, a preços pré-IPO, com aquisição de terrenos à beira-mar abaixo do preço de mercado. Essa combinação de opções

de investimentos melhora drasticamente as chances de retorno do investimento e de retenção de riqueza.

Leia o artigo sobre land banking para entender melhor sobre esse projeto ou clique no link a seguir: RiceFarmInvestment.com

n.º 3: A jurisdição ideal para ser proprietário de algo é aquela que não taxa o que lhe pertence

Esse último princípio é, atualmente, apenas compreendido por um pequeno número de investidores. Um país com imposições tributárias sobre os rendimentos, ganhos de capital, etc, pode muito bem de repente, numa situação de crise, taxar a propriedade de metais preciosos. Da mesma forma, um país com imposições tributárias sobre a propriedade pode, em momentos difíceis, aumentar essa taxa de imposto sem aviso prévio. De fato, até pode decidir acusar o investidor de não ter pago todos os seus impostos (quer isso seja verdade ou não) de forma a justificar a confiscação dos seus bens.

Muitos países encontram-se atualmente irremediavelmente endividados e à beira do colapso econômico. À medida que se vão sentindo cada vez mais desesperados, os seus governantes irão recorrer a medidas cada vez mais desesperadas. Nos próximos anos, assistiremos os líderes dos países mais respeitados a fazerem coisas nunca vistas anteriormente para conseguir se apoderar da riqueza dos seus cidadãos.

É importante notar que a palavra riqueza não se refere só às fortunas de sete dígitos ou maiores. Se a sua riqueza é de $5000, esse montante estaria mais protegido se você o substituísse por umas moedas de ouro por exemplo. Se é de $50.000, estaria mais bem protegido se você o substituísse, por exemplo, por uma compra de um lote. Agora, aquelas pessoas que precisam proteger montantes de $500.000 ou mais, poderão criar um portfólio de vários investimentos em ouro, prata, terrenos e construção de imóveis. Independentemente do montante da sua riqueza, os princípios são os mesmos.