O que é preciso para viver no exterior

Viver no exterior

Como já vivi em quatro países diferentes, sei o que é necessário para conseguir levar um estilo de vida internacional, de forma bem-sucedida. Estou, pois, compartilhando aqui os meus comentários sobre as pessoas que diversificaram com sucesso e sabem bem o que é preciso para viver no exterior.

LIÇÃO 1: Abrace a cultura local

Em muitas partes da Europa, por exemplo, o ritmo de vida é muito mais tranquilo se comparado ao Brasil e a outros países com estilos de vida mais acelerados. Há lugares na Europa onde fazer a “siesta” (tradicional sono durante o dia) é normal, tanto que todos os estabelecimentos comerciais fecham durante esse período.

As pessoas que se adaptam com facilidade a novas situações, rapidamente aderem ao ritmo relaxado. Aqueles que não conseguem se adaptar, ficam esperando que tudo funcione sem um horário restrito, se sentem constantemente frustradas e estressadas quando as situações não funcionam de acordo com as suas expectativas.

É importante ter em mente que você precisa se ajustar a outras culturas, e não elas a você. A boa notícia é que viver em um país com um estilo de vida mais simples, tranquilo e menos complicado é sem dúvida mais saudável, tanto de forma física quanto psicológica.

LIÇÃO 2: Mude de país pela razão correta

Algumas pessoas escolhem mudar de país porque acreditam que seu país de origem está a caminho de um estado de violência generalizado.
Ao longo da história é possível identificar diversas sociedades que rapidamente saíram do caminho em direção à estabilidade, desviando-se para o caos total – mudar de país por medo do futuro não é a razão mais adequada para quem quer diversificar sua vida no exterior.

Esse seu novo estilo de vida internacional não deve ser visto como uma solução de fuga, mas como um modo de vida e de diversificação – ambos positivos e tangíveis.

Você será mais bem sucedido no seu processo de internacionalização do seu estilo de vida se você o fizer em nome do seu próprio bem-estar, não como um escape a uma crise em seu país de origem. Como consequência positiva, é claro, internacionalizar seu estilo de vida funciona também como um seguro contra as democracias em degradação.

LIÇÃO 3: Faça a transição a um ritmo confortável

É uma boa ideia manter a sua casa atual enquanto você estiver fazendo a transição para um estilo de vida internacional a fim de diminuir a pressão de fazer “a grande mudança”.

Não é necessário levar todos os seus pertences para lá, pois tudo o que você realmente necessita, existe no país para onde você vai. Talvez, não com o mesmo alto nível de vida ou a mesma diversidade que você tinha no seu país de origem, mas a parte saudável de mudar de país está em aprender a viver sem o materialismo que rodeia nossas vidas.

LIÇÃO 4: Procure auxílio competente

Para internacionalizar com sucesso e viver no exterior com tranquilidade é necessário ter uma boa networking. É sempre aconselhável contratar profissionais locais, como um advogado, arquiteto ou empreiteiro, pois eles podem coordenar os trabalhos com os fornecedores locais sempre que for necessário resolver algo. Procure sempre a ajuda local, pois as pessoas da região conhecem a sua realidade melhor do que você!

LIÇÃO 5: Integre-se com a comunidade local

Claro que uma pessoa conseguiria viver muito bem sem nunca sair de casa, porém as amizades que fazemos localmente tornam a nossa vida no exterior muito mais interessante.

Quando você se integra com a comunidade local, você começa a compreender seu modo de vida, a apreciar a culinária, vestuário e filosofias da vida. Além disso, é mais fácil viver no exterior quando dispomos à nossa volta de uma equipe de pessoas que nos apoia e em que as pessoas da região fazem parte dessa mesma equipe. Como as pessoas da região conhecem bem a realidade que as rodeia, conseguem lhe dar boas recomendações para qualquer coisa que você precise, incluindo médicos, escolas e comércio. Você também pode fazer amizades para o resto da vida, mas para isso é necessário se integrar com a comunidade local.

LIÇÃO 6: Observe antes de dar o salto

Você também deve criar uma lista em que registre o estilo de vida pessoal que você deseja levar. A lista deverá se assemelhar a seguinte:

  • Segurança pessoal. Ao contrário de muitos países da América Latina, você necessita procurar um lugar onde não exista arame farpado ou frascos quebrados decorando o alto dos muros como forma de proteção de seus próprios cidadãos.
  • Clima. Se você gosta de sol, não desperdice o seu tempo em uma casa na montanha da Suíça, por exemplo, pois eventualmente você acabará odiando-a.
  • Sociedade. Tente encontrar países onde as pessoas sejam invulgarmente acolhedoras, lugares onde você não seja visto como uma carteira ambulante para pagar pela falta de dinheiro que o resto da sociedade não tem.
  • Uma cultura vibrante. O local ideal é aquele que consegue oferecer acesso à natureza, cultura e entretenimento, sem ser necessário percorrer uma longa distância disfrutar de um ou do outro. Assim, você poderá usufruir do melhor que a vida tem para oferecer no mesmo lugar (ou o mais próximo possível).
  • Custo de vida. Apesar de ter usufruído de bastante sucesso financeiro em minha vida, fico chocado em como a vida está cara no Brasil em comparação com muitos outros países. Assim, o lugar que oferece a melhor relação custo e benefício é aquele que tem para oferecer uma boa seleção de comodidades a um preço razoável, sem ter necessidade de um guarda-costas para protegê-lo durante a noite.
  • Pouca interferência do Estado. A maioria das sociedades são governadas com forte interferência do Estado. No entanto, há países onde o Estado interfere menos nos diferentes aspectos da vida dos cidadãos e esses países são aqueles que você deve procurar.

Veja no link abaixo a lista de jurisdições que oferecem programas de cidadania por investimento, residência permanente e passiva

https://www.sociedadeinternacional.com/dupla-cidadania-precos/